Assistência Social

Prefeitura realiza atividades em alusão ao Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil

Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil (World Day Against Child Labour) é celebrado anualmente em 12 de junho.

O principal objetivo da data é alertar a comunidade em geral e os diferentes núcleos do governo sobre a realidade do trabalho infantil, uma prática que se mantém corriqueira em diversas regiões do Brasil e do mundo.

Esta data foi criada por iniciativa da Organização Internacional do Trabalho, uma agência vinculada à Organização das Nações Unidas (ONU), em 2002, para conscientizar sociedade, trabalhadores, empregadores e governos do mundo todo contra o trabalho infantil. 

Centenas de milhões de crianças estão nesse exato momento trabalhando, e não estão usufruindo de seus direitos à educação, saúde e lazer. No Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil se relembra que esses direitos estão sendo negligenciados em muitos países.

Para chamar a atenção dos vimarenses sobre essa realidade, técnicos da Secretaria de Assistência Social e membros do Conselho Tutelar realizaram algumas atividades alusivas à data.  Uma das atividades foi a roda de conversa na rádio comunitária, a Assistente Social do CRAS Ellen Monyque, a psicóloga do CREAS Rayane Sales e o Conselheiro Tutelar Herbete Boais, estiveram na rádio Cultural FM realizando uma roda de conversa sobre o Trabalho Infantil.

Nesta quinta-feira outro grupo formado pelas assistentes sociais Olivia Gonçalves e Simone Cardoso e Rayane Sales- psicóloga do CRAS realizaram uma blitz educativa nas ruas e comércios locais como forma se sensibilizar a população de que a prioridade das crianças é estudar.

Segundo dados recentes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), o Maranhão ocupa a quarta posição no ranking dos estados com maiores números de casos de trabalho infantil. Existem 144 mil crianças e adolescentes de 5 a 17 anos em situação de exploração de trabalho em nosso estado. Com essa atividades, a prefeitura municipal quer debater essa realidade assustadora em nosso país e em nosso Estado.

 

 

Mais em Assistência Social


Receba nossa Newsletter. Deixe seu nome e e-mail!