Política

Osvaldo Gomes participa em Brasília da “XXI Marcha dos Prefeitos em Defesa dos Municípios”.

O prefeito em exercício de Guimarães (MA), Osvaldo Gomes, participou nesta terça-feira (22/5) da abertura oficial da XXI Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios. O evento aconteceu no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), em Brasília (DF), e contou com a participação de cerca de sete mil municipalistas, do presidente da República, Michel Temer, além de ministros e parlamentares do Congresso Nacional.

Em Brasília, Osvaldo Gomes está acompanhado do prefeito de Central do Maranhão, Ismael Monteiro e da Secretaria Executiva do Conguarás, Bruna Lima. Estão aproveitando o maior evento político do país para trocar ideias, visitar ministérios e participar de reuniões com a bancada federal Maranhense, tratando de diversos assuntos de interesse dos seus municípios.

Nesta quarta-feira, juntamente com a prefeita de Porto Rico do Maranhão Tatiana Mendes, estiveram no Ministério da Saúde, e foram recebidos pelo Dr João, Diretor de Atendimento da Saúde Básica para discutirem melhorias no atendimento à população em seus municípios, os gestores pleitearem investimentos na área que ainda é deficitária em nossa região. Já no final da tarde reuniram-se com o vice-Governador do Maranhão, Carlos Brandão para pedir informações sobre o andamento da construção da ponte que ligará Bequimão a Central do Maranhão. O Vice-Governador afirmou que as peças para montagem da ponte estão sendo construídas em Minas Gerais, e a empresa responsável deverá em breve levá-las ao canteiro da obra.

Durante a abertura da XXI Marcha dos Prefeitos em Defesa dos Municípios, o anfitrião do evento, o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, fez um retrospecto das principais conquistas alcançadas pelos Municípios por meio da Marcha, a exemplo dos recursos da Repatriação, bem como da multa aplicada nesse programa, estimada em R$ 5 bilhões. Ziulkoski aproveitou a oportunidade para reclamar a Temer do subfinanciamento dos programas federais pagos pelos Municípios, que “ao ano alcança a ordem de R$ 61 bilhões”, frisou o presidente da CNM.

A Marcha terá uma extensa pauta este ano, com destaque para as reformas trabalhista, previdenciária e tributária, além das reivindicações municipalistas que serão discutidas com representantes do governo federal e Congresso Nacional. Há itens da pauta que defendem o equilíbrio das contas das prefeituras, como o “encontro de contas” entre governo federal e municípios, a redução do custeio das máquinas públicas e os recursos financeiros condizentes com as competências estabelecidas pelo pacto federativo. No Congresso, destacam-se os projetos que tratam dos resíduos sólidos, da repatriação, da derrubada do veto à matéria do Imposto sobre Serviços (ISS), além da mudança no critério de reajuste do Piso Nacional do Magistério Público.

 

Mais em Política


Receba nossa Newsletter. Deixe seu nome e e-mail!