NOSSA HISTÓRIA

José Bruno de Barros, que parece ter sido dos primeiros habitantes da região, servindo-se da ajuda de silvícolas, montou em seus domínios olarias e fomos para o fabrico de farinha. Em 1755, alegando morar muito distante da freguesia - o que, alem de causar-lhe grande incômodo, "fazia muita falta à cultura de suas lavouras" -, requereu ao bispo diocesano, D. Antônio de São José, licença para levantar em sua fazenda uma capela dedicada a São José. Ao mesmo tempo assinou uma escritura em que especificava o patrimônio do templo a edificar-se: trinta vacas e meio quarto de légua.

Doada à Coroa, no decurso de 1758, sua fazenda de Guarapiranga foi o ponto inicial do atual Município de GuImarães. Já no ano seguinte, era fundada a vila, sob a denominação de São José de Guimarães e logo incorporada à comarca de São Luís do Maranhão.

Atraídos pela abundância de peixes, grande leva de estrangeiros, principalmente portugueses, chegou à nova povoação. Fundaram estabelecimentos agrícolas para o plantio de mandioca e cana-deaçúcar e iniciaram a fabricação de cal, usando crustáceos como matéria-prima.

"Esta vila é uma das maiores do Estado e com tantos moradores que forma uma companhia de auxiliares de oitenta praças" - escreveu Joaquim de Melo e Póvoas ao governador em 1766. E Antônio Corrêa Furtado de Mendonça, procurador-geral dos índios, trinta anos depois asseverava: "A vila de Guimarães do Cumã desta capitania pode servir de exemplar que é a única vila de índios que se acha em grande adiantamento, na qual já se acham muitos índios com bens e possuidores de escravos."

Somente em 1838, porém, é que se instalou a primeira escola, e em 1847, a Agência Postal.

Segundo o quadro administrativo vigente em 31 de dezembro de 1955, Guimarães compõe-se de 3 distritos: Guimarães, Mirinzal e Muiraneu.

Gentílico: vimaranense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Guimarães, pela provisão de 23-03-1758.

Elevado à categoria de município com a denominação de Guimarães, pela lei provincial nº 7, de 29-04-1835. Sede na Vila de Guimarães.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, a Vila é constituída do distrito sede.

Elevado à condição de cidade com a denominação de Guimarães, pela lei estadual nº 885, de 26-02-1920.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.

Pela lei estadual nº 269, de 31-12-1948, são criado os distritos de Mirinzal e Mairaneu e anexado ao município de Guimarães.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 3 distrtitos: Guimarães, Mirinzal e Muiraneu.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.

Pela lei estadual nº 2175, de 26-12-1961, desmembra do município de Guimarães o distrito de Mirinzal. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 2 distritos: Guimarães e Muiraneu.

Pela lei estadual nº 2378, de 09-06-1964, desmembra do município de Guimarães o distrito de

Muiraneu. Elevado à categoria de município com a denominação de Cedral. Em divisão territorial datada de 1-I-1978, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Fonte:IBGE




HINO DA CIDADE


LEI DE CRIAÇÃO

MUNICÍPIO DE GUIMARÃES

Lei nº 269 de 31 de Dezembro de 1948. Cria o Município de Guimarães

 

LIMITES MUNICIPAIS

1 – Com o Município de PINHEIRO:

Começa na foz do riacho Gama, à margem esquerda do rio Pericumã; segue pelo curso do riacho Gama à montante, até o ponto do Salgado, onde fica o marco de pedra, à margem esquerda desse riacho; segue por uma reta no lugar Ubiratuba, onde entronca o rumo norte-sul que vem do marco de pedra nas matas de Santana; segue por um alinhamento reto em direção sul-norte, ao referido marco das matas de Santana.

2 – Com o Município de SANTA HELENA:

Começa no marco de pedra nas matas de Santana; segue por um alinhamento reto, em direção sul-norte, até o marco de pedra ponto de trijunção dos municípios de Cururupu, Guimarães e Santa Helena.

3 – Com o Município de CURURUPU:

Começa no marco de pedra, em que extremam os municípios de Cururupu, Guimarães e Santa Helena, no rumo oeste-leste que vem do ponto de Itapeua; segue por um alinhamento reto, em direção oeste-leste, até o marco de pedra, além do rio das Almas; segue por um alinhamento reto, em direção sul-norte, pelo rumo denominado do Barão, até o marco de pedra, aquém o riacho Grande, um dos formadores do rio Uru Mirim; segue por outro alinhamento reto, em direção oeste-leste, pelo rumo conhecido do Neri, até atingir a margem direita do rio Uru Mirim, na estiva denominada do Quilombo; daí segue pelo talvegue desse rio à jusante, até sua embocadura à margem esquerda do rio Uru; segue pelo talvegue deste rio à jusante, até sua foz na baía do rio Uru, no Oceano Atlântico; segue pelo meio dessa baía e continua até o limite das águas territoriais.

4 – Com o OCEANO ATLÂNTICO:

Começa defronte à baía do Uru, no limite das águas territoriais; segue por este limite, incluindo as ilhas adjacentes ao litoral, até defrontar a ponta do Araoca, á entrada da baía do Cumã.

5 – Com o Município de ALCÂNTARA:

Começa no limite das águas territoriais, fronteando a ponta do Araoca, á entrada da baía de Cumã; segue pelo centro dessa baía até alcançar o ponto defronte à barra do rio Raimundo Su.

6 – Com o Município de BEQUIMÃO:

Começa no rio Pericumã, defronte à foz do rio Raimundo Su, à sua margem direita, segue pelo talvegue deste rio à montante, até a foz do riacho Gama, à sua margem esquerda.

DIVISAS INTERDISTRITAIS

1 – Entre os distritos de GUIMARÃES E MUIRANEU (ex-povoado de Cedral):

Começa no limite das águas territoriais, defronte ao meio da barra do Calhau; segue ao meio dessa barra e pelo meio da mesma, até a foz do rio Arapiranga; segue pelo talvegue deste rio à montante, até a foz do Igarapézinho do Suaçu.

2 – Entre os distritos de GUIMARÃES E MIRINZAL:

Começa na foz do Igarapézinho do Suaçu, à margem esquerda do rio Arapiranga, segue pelo seu curso deste rio à montante, até sua cabeceira mais alta; daí por uma reta ao cruzamento do rio Uru, pela linha telegráfica Cururupu-Pinheiro; segue pelo talvegue do rio Uru, à montante, até defrontar pelo lado leste a curva grande do rio das Almas; segue em reta a essa curva e daí, pelo talvegue do rio das Almas à montante, até alcançar o limite do Município de Pinheiro.

3 – Entre os distritos de MUIRANEU(ex-povoado de Cedral) E MIRIZAL:

Começa na foz do Igarapézinho Suaçu, à margem esquerda do rio Arapiranga; segue pelo talvegue desse Igarapézinho à montante, até sua cabeceira mais alta, ficando a localidade Suaçu para o distrito de Mirinzal; daí segue pela estrada, passando por Santo Antonio, Japão, Belo Horizonte, Cumaru, Monduri, Rabeca e Egito, que inclui para Muiraneu e Engenho do Lago, que inclui para Mirinzal, e daí por uma reta sul-norte até o lugar do marco, à margem direita do rio Uru.
 

 

Este texto não substitui o original publicado em imprensa oficial.



Receba nossa Newsletter. Deixe seu nome e e-mail!